Linfedema

Linfedema – ocorre quando o fluido linfático não flui para o coração de modo adequado e se acumula

Lymphsystem

O que causa o linfedema?

O nosso sistema linfático está ligado ao sistema cardiovascular e desempenha funções para o nosso organismo que são tão importantes como as do próprio sistema cardiovascular. Ele desempenha um papel decisivo como parte do nosso sistema imunológico. Enquanto temos saúde, dificilmente existem razões para pensar no sistema linfático. Só percebemos a sua existência quando ele se encontra debilitado – no caso do linfedema, por exemplo.

O que é isso, exatamente? O linfedema ocorre quando o fluido linfático não consegue fluir para o coração de modo adequado e se acumula nos tecidos. Isto pode ser comparado com uma espécie de engarrafamento de trânsito. Os braços e as pernas incham e forma-se um edema, ou seja, um inchaço crônico.

Porém, com o tratamento adequado e uma atitude positiva, é possível levar uma vida diária que seja o mais normal possível. Porque uma coisa é certa: há formas de manter o linfedema constante e curtir a vida ao mesmo tempo.

O serviço de “eliminação de resíduos perigosos” do corpo

O sistema linfático pode ser comparado com o serviço de “eliminação de resíduos perigosos”, porque transporta produtos residuais para fora do corpo. Nestes se incluem, por exemplo, proteínas, produtos de degradação metabólica, produtos inflamatórios ou gordura da cavidade abdominal. O sistema linfático estende-se ao longo dos vasos sanguíneos e cobre todo o nosso corpo como uma rede.

Todos os dias, ele transporta até quatro litros de linfa purificada de volta para a circulação do sangue. Pode-se desenvolver linfedema se a drenagem linfática é interrompida ou enfraquecida. Existem hoje tantas opções de tratamento diferentes que é possível levar uma vida quase perfeitamente normal, mesmo tendo linfedema.

Tipos

Existem dois tipos de linfedema: linfedema primário e linfedema secundário.

  • O linfedema primário é congênito. Geralmente ele é causado pela má formação de canais linfáticos ou gânglios linfáticos.
  • O linfedema secundário é um edema que se desenvolve durante a vida do paciente e não é congênito. Ele pode ser causado por operações, infecções ou lesões, por exemplo.

Indícios e sintomas

O chamado sinal de Stemmer é um sinal de diagnóstico confiável para reconhecer o linfedema. Experimente puxar uma prega da pele para cima (por exemplo, por cima de um dedo do pé). Se isso se mostrar difícil, ou mesmo impossível, estamos falando de um "sinal de Stemmer positivo".

Este é um indício de linfedema. Além deste, pregas naturais mais profundas da pele sobre as articulações, inchaço no dorso da mão e nos pés e pele tensa indicam linfedema.

Estágios

  • Estágio 0: Os vasos linfáticos já estão danificados, mas ainda não existe inchaço visível.
  • Estágio 1: O inchaço desenvolve-se durante o dia, mas desaparece parcial ou completamente quando se eleva o membro. Se você apertar o dedo nos tecidos, forma-se uma depressão que persiste durante algum tempo.
  • Estágio 2: O inchaço continua, mesmo que se façam períodos de repouso mais longos. A pele fica dura e elevar o membro já não ajuda a diminuir o inchaço. É difícil ou mesmo impossível provocar depressões na pele.
  • Estágio 3: Se caracteriza por inchaço e alterações na pele (por exemplo, sob a forma de pequenas bolhas que derramam fluido linfático). Outra forma deste inchaço é designada por elefantíase.

No entanto, em todos os casos é aconselhável consultar o médico numa fase inicial (já no Estágio 1). O médico pode recomendar um tratamento adequado para conseguir que o edema não se desenvolva mais, que diminua ou, pelo menos, que permaneça constante. Deste modo, pode-se evitar que o edema progrida para o Estágio 3.

Linfedema após cirurgia de câncer de mama

O câncer de mama é o tipo de câncer mais frequente nas mulheres. Todos os anos são diagnosticados mais de 70.000 novos casos. 

Em média, 20 a 30% das pacientes são afetadas por linfedema relacionado ao câncer de mama após remoção dos gânglios linfáticos axilares e radioterapia adjuvante.

Fatores de risco

As pacientes com câncer muitas vezes precisam fazer radioterapia aos seus gânglios linfáticos, ou estes são totalmente extraídos. Naturalmente, isso influencia todo o sistema linfático, de forma que se podem desenvolver edemas. Outros fatores, como a idade ou o simples fato de ser mulher podem favorecer o aparecimento de linfedema.

Em muitos casos, o linfedema também se desenvolve a partir de uma desordem venosa anterior associada a pouco exercício físico. Existem muitas causas, mas nesta altura as boas notícias são: existem opções de tratamento eficiente disponíveis para devolver aos pacientes linfáticos a sua qualidade de vida.

Prevenção

Você tem linfedema? Preste atenção às pequenas coisas da vida diária. Todas elas podem contribuir para manter o seu edema sob controle. Por exemplo, use roupas confortáveis e que não sejam apertadas. Limpe e cuide da pele cuidadosamente e use apenas substâncias com pH neutro. Pesa um ou dois quilos a mais do que devia? Tente perder esse peso. Por exemplo, informe-se junto do seu médico ou do seu prestador de serviços de saúde sobre programas de ginástica ou exercício que descongestionem os membros. Em casa, proteja-se de lesões nas unhas e na pele. Evite o stress e o frio intenso, porque ambos contraem os vasos. Atividades que dilatam os vasos, como banhos de sol prolongados, idas à sauna ou banhos quentes também não são recomendadas. Também é importante: enquanto a drenagem linfática manual tem um efeito positivo sobre o sistema linfático, devem ser evitadas as massagens com pancadas. Estas podem sobrecarregar a parte afetada do corpo. Finalmente e não menos importante: use vestuário de compressão sempre que fizer exercício (por exemplo, durante atividades esportivas).

Como o linfedema pode ser tratado?

O linfedema é uma doença crônica. Contudo, um tratamento correto e, sobretudo, prolongado, consegue efetivamente resultados muito bons. A terapia de descongestionamento físico complexo (DFC) demonstrou ser especialmente eficaz. O objetivo é descongestionar primeiramente os membros afetados – como o nome indica.

Inicialmente o foco está nos cuidados com a pele e na higiene. Limpe e trate cuidadosamente as zonas afetadas. O terapeuta realiza então uma drenagem linfática manual antes de aplicar uma ligadura de compressão imediatamente a seguir. Isto estimula o fluxo de retorno do fluido linfático durante esta fase. Sem as ligaduras, o edema aparecerá de novo ao fim de cerca de duas horas. Uma medida importante que faz parte do processo de descongestionamento é que você se movimente - de preferência diretamente após a drenagem linfática manual e com as ligaduras colocadas.

completa, tem início a segunda fase: a fase de manutenção. Os quatro componentes são os mesmos que no descongestionamento: higiene, drenagem linfática, compressão e atividade física. Mas agora a ligadura de compressão é substituída por um vestuário de compressão. Meias de compressão de malha plana são normalmente usadas para este efeito. Elas são peças de vestuário feitas de um material menos elástico e mais rígido do que as peças de malha circular. Os artigos de malha circular são mais usados para doenças venosas como veias varicosas.

Fase 1 – Fase de descongestionamento

O objetivo é reduzir o perímetro dos membros afetados. Assim, na primeira fase de terapia de descongestionamento físico complexo (DFC) é efetuada a drenagem linfática manual de todo o corpo uma ou duas vezes por dia, para estimular o transporte de retorno do fluido para fora dos tecidos. É aplicada uma ligadura de compressão após cada sessão de tratamento. A terapia de descongestionamento é também apoiada por exercícios especiais. No início do tratamento, as condições da pele como fissuras ou pé de atleta são tratadas de modo intensivo, porque uma inflamação pode causar danos adicionais. Posteriormente também são importantes uma higiene e cuidados adequados com a pele. Apenas podem ser usados produtos de limpeza e cremes com pH neutro.

A primeira fase da terapia de descongestionamento físico complexo tem uma duração de cerca de três a seis semanas. A duração individual depende do êxito do descongestionamento. Quando o perímetro das regiões do corpo afetadas já não puder mais ser reduzido, entramos na fase de manutenção.

Fase 2 – Fase de manutenção

O objetivo da fase 2 da terapia de descongestionamento físico complexo (DFC) é manter os êxitos e resultados obtidos na fase 1. Durante esta fase de tratamento, a drenagem linfática manual deve ser realizada pelo menos uma vez por semana no inverno e duas vezes por semana no verão. A terapia de compressão é ainda apoiada por vestuário de compressão/mangas/partes da mão e biqueiras. As medidas de tratamento adicionais como cuidados especiais com a pele e exercícios não devem ser negligenciadas durante esta fase.

Drenagem linfática – "Massagens" de descongestionamento

A drenagem linfática manual é um tipo especial de massagem feito para aumentar a capacidade de transporte do sistema linfático. Não é apenas aplicada na parte afetada do corpo, mas sempre em todo o corpo.

A massagem começa no pescoço onde os grandes vasos coletores de linfa abrem para as veias situadas atrás das clavículas. Isto estimula o fluxo de linfa para os grandes vasos linfáticos, para facilitar o transporte para os vasos menores. Em seguida são tratados o torso e os membros.

Vestuário de compressão de malha plana para manutenção

Meias de compressão Mediven 550 para edema na perna

O vestuário de compressão de malha plana exerce uma pressão constante no braço ou na perna durante a fase de manutenção. Este tipo de vestuário não desliza na pele formando dobras, o que poderia dar origem a constrição. Os artigos de compressão estão disponíveis por prescrição em distribuidores de produtos médicos (por exemplo, distribuidor de aparelhos cirúrgicos) e são feitos por medida para se adaptarem ao perímetro do braço ou da perna.

As medidas também são tiradas pelo distribuidor de aparelhos cirúrgicos. É importante que você use o vestuário regularmente. Apenas desse modo o resultado permanecerá constante e o edema não se irá espalhar. Podem ser tomados medicamentos como suplementos para tratar o edema – o seu médico decidirá se estes são necessários.

Em resumo: podemos dizer que o linfedema não é totalmente curável. Porém, são conseguidos resultados muito bons com o descongestionamento físico complexo. O vestuário de compressão se encontra atualmente disponível em cores e padrões modernos, de modo que os pacientes se sentem muito mais felizes em usá-los do que antes.

Você deve levar em consideração que o inchaço dos braços e das pernas é muito sério. Procure a qualificação adicional de "Flebologista" ou "Linfologista" quando quiser encontrar um especialista adequado. Os flebologistas e os linfologistas são especialistas em doenças do sistema venoso e linfático e participam num desenvolvimento profissional contínuo nesta área especializada. Então, o médico prescreverá o tratamento descrito aqui (por exemplo, drenagem linfática manual ou vestuário de compressão) se for necessário.

1 www.krebsdaten.de
2 Deutsche Krebsgesellschaft e.V. (2008): Interdisziplinäre S3-Leitlinie für die Diagnostik, Therapie und Nachsorge des Mammakarzinoms, Germering, München: W. Zuckschwerdt Verlag.

Rate this Content

 
 
 
 
 
 
 
Rate
 
 
 
 
 
 
7 Rates
86 %
1
5
4.3